EDP reforça dicas de economia de energia com a chegada do frio 

Distribuidora orienta clientes sobre a importância do consumo consciente

Mogi das Cruzes, 6 de maio de 2016 – Com chegada do frio, alguns hábitos como tomar banhos quentes e longos, utilizar torneira elétrica e secadora de roupas começam a fazer parte do cotidiano nas residências. Para evitar surpresas com a conta de luz no fim do mês, a EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, orienta os clientes sobre como otimizar o uso dos aparelhos eletrodomésticos no inverno. Confira as dicas:  

- O chuveiro continua sendo o campeão de consumo no período frio e, dependendo dos hábitos da família, pode representar mais de 30% da conta de luz. É unânime que o melhor banho é aquele com mais conforto de temperatura e pressão, mas é importante ter consciência que quanto maior a potência da ducha, maior o gasto de energia. Portanto, se não tem como evitar o banho com temperatura muito alta, o ideal é reduzir o tempo, entre 5 a 8 minutos.

- As torneiras elétricas têm as mesmas características dos chuveiros, por possuir resistência, e isso eleva o consumo de energia. Para reduzir o desperdício e economizar, a dica é ensaboar toda a louça para depois enxaguá-las de uma só vez.

- Quando se trata de geladeira, o mais importante é regular o termostato, pois a temperatura interna do refrigerador não precisa ser tão baixa quanto nos dias quentes. A parte de trás do eletrodoméstico não deve ser usada para secar panos de prato e roupas, pois isso prejudica a ventilação do equipamento, e a borracha de vedação da porta deve ser verificada periodicamente.

 “Para conferir se a borracha de vedação está em bom estado ou precisa ser substituída, faça um teste prático: prenda uma folha de papel na porta da geladeira e tente retirá-la; se a folha sair com facilidade, está na hora da troca”, explica Marcos Scarpa, relações institucionais da EDP. Vale lembrar que, quanto maior esforço do motor do equipamento, mais gasto de energia.

- Aquecedores de ambiente, secadores de roupas e de cabelo também são alguns dos vilões da conta de luz. A dica é adquirir aparelhos com porte adequado para atender a demanda de uso, considerando as dimensões dos cômodos e quantidade de pessoas na casa.

- Ao adquirir um novo eletrodoméstico ou eletroeletrônico, é imprescindível verificar a categoria do Selo Procel, na Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), afixada no aparelho. Instituída pelo Inmetro, que avalia os equipamentos em sua eficiência e impacto ao meio ambiente, o Selo auxilia na escolha por produtos que contribuam para o baixo consumo e, consequentemente, para a redução da conta de luz.

 

O consumo de energia dos aparelhos eletrodomésticos mais usados no frio

 

Tipo de Aparelho

Potência Média (watts)

Dias de uso por mês

Tempo médio de uso (dia)

Consumo médio mensal (kWh)

Chuveiro

4500

30

32min*

72

Forno a Resistência

1500

30

1h

15

Lavadora de Louça

1500

30

40min

30,86

Forno de Microondas

25 litros

30

20min

13,98

Lavadora de roupa

1500

12

1

1,76

Secadora de roupa

3500

30

1h

42

Aquecedor de ambiente

1600

15

8h

193,44

Torneira Elétrica

 

 3250

30

30min

48,75

Ferro elétrico automático a vapor

1200

12

1h

7,20

Ferro elétrico automático a seco

1050

12

1 h

2,40

Geladeira

350 litros

30

24h

56,88

(Fonte: Procel Info)

* Considerados quatro banhos de oito minutos cada.

 

Fique atento

A fatura de energia traz informações importantes que podem contribuir com a gestão do consumo familiar, como por exemplo, as Bandeiras Tarifárias. No mês de maio, a cor vigente continua sendo a verde. Isso significa que a maior parte da energia gerada no país está sendo pelas hidrelétricas, que tem custo mais baixo. Nestas condições, a tarifa da distribuidora não sofre nenhum acréscimo, porém, vale ressaltar que o consumo elevado pode gerar uma conta de luz mais alta.

Outro item de destaque, é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado de São Paulo. O valor varia de acordo com a faixa de consumo do cliente. Até 90 kWh/mês, o consumidor fica isento; de 91 a 200 kWh/mês, há um acréscimo de 12%, e acima de 201 kWh/mês, é acrescido 25% sobre o consumo.

Para saber mais sobre dicas de consumo, acesse: www.edp.com.br